Introdução

Print Friendly, PDF & Email
Introdução

 

O projeto de pesquisa científica “Distribuição e Endemismo de Peixes de Riacho do Espírito Santo – Projeto BIOdiversES, foi iniciado em 2008 (Sarmento-Soares, 2008). Em parceria com o Museu de Biologia Prof. Mello Leitão (MBML) e com financiamento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) por meio do Edital Universal MCT/CNPq 14-2008 Processo:473749/2008-4. O financiamento com duração inicial de dois anos foi encerrado com o Relatório Técnico enviado para o CNPq em abril de 2011.

No relatório foram indicados os resultados dois anos de projeto e ressaltadas as necessidades de atividades a serem implementadas em continuação para que todos os objetivos indicados pudessem ser alcançados. Para a complementaçãodestas atividades estamos propondo esta segunda etapa do projeto para ser realizada em parceria com o Museu de Biologia Prof. Mello Leitão.

Das oito metas propostas no projeto inicial foi possível nos dois primeiros anos de projeto atingir os seguintes resultados:

 

  1. Identificação das localidades indicadas para os peixes de água docedo Espírito Santo depositadas nas principais coleções do país.
    Resultado: Foram incluídos os dados das coleções disponíveis nos sistemasCRIA1 e NEODAT2 – Ao início do projeto foi encontrado, nos dois sistemas citados, um total de 6.929 lotes do Espírito Santo ao final da primeira etapa 1. O total de peixes do Espírito Santo nas principais coleções do país alcançou a marca de 9.304 lotes, com uma ampliação de 2.375 lotes (34,3%). Os 1.442 novos lotes de peixes de água doce corresponderam a uma ampliação de 49,8% na representatividade deste grupo. A Coleção do MBML teve um acréscimo de 1.859 lotes, (143,7% ), sendo que 1.539 foram de água doce o que ampliou a coleção deste grupo em 185%.
    1 CRIA – Centro de Referência e Informação Ambiental – disponível em www.cria.org
    2 SIBIP/NEODAT III- Sistema Brasileiro de Informações sobre Biodiversidade de Peixes – disponível em www.mnrj.ufrj.br/search.htm
  2. Mapeamento destas localidades por bacia no estado.
    Resultado: Do total de lotes apenas dezoito não puderam ser identificados quanto à bacia de origem. Dos 4.123 lotes de água doce apenas 512 não foram identificados quanto á sub-bacia.
  3. Identificação das áreas com maiores necessidades de amostragem
    Resultado: As informações de localidades foram avaliadas inicialmente definindo-se sua posição em termos de município. Dos 78 municípios que compõem o estado, 34 não contavam com nenhuma amostragem registrada nas coleções analisadas (Sarmento-Soares & Martins-Pinheiro, 2010). Dos 2.898 lotes de água doce catalogados do Espírito Santo, 391(13,5%) não eram passíveis de identificação do município de origem. Os restantes 2.507 estavam distribuídos por 44 municípios.
  4. Amostragem nas áreas mais necessárias
    Resultado: Ampliou-se a representatividade geográfica das coleções. Os municípios não amostrados reduziram de 34 para 10 (de 44% para 10%). 90% dos lotes nas coleções passaram a representar 40 municípios (51%) quando antes representava apenas 22 municípios (28%). A média de lotes de água doce no estado passou de 6,3 por cada 100 km2 de área para 9,4 (aumento de 49,8%).

    peixes no ES
  5. Identificação taxonômica dos peixes coletados.
    Resultado: Trabalhou-se com 43.683 exemplares em 4.510 lotes de água doce, 1.040 exemplares em 300 lotes de peixes estuarinos e 2.365 exemplares em 416 lotes de peixes marinhos. Foram reconhecidas 296 espécies, em 208 gêneros, 83 famílias e 22 ordens para o Espírito Santo. Dentro destas estão 124 espécies de água doce e/ou estuário, com 74 gêneros em 22 famílias e oito ordens. Doze destas espécies são exóticas. Cada uma das espécies colecionadas foi caracterizada morfologicamente. Vinte e oito espécies carecem de maiores estudos para confirmar se representam novos táxons.
  6. Estabelecimento de padrões de distribuição geográfica para os peixes de riacho no Espírito Santo.
    Resultado: Foram elaborados mapas de distribuição das espécies de peixes de água doce no Estado.
  7. Definição das áreas de endemismo utilizando o programa NDM/ VNDM (Goloboff 2005)
    Resultado: O mapa do estado do Espírito Santo foi dividido em 12 colunas e 17 linhas com 204 quadrículas de 0.2 x 0.2 (20km x 20km) e origem da grade no ponto com coordenadas: -41º58’01″W e -17º42’00″S. Foram plotados as coordenadas de 4.425 registros referentes a 123 espécies. O programa selecionou duas áreas com maiores índices de endemismo (IE maior de 3,88).
  8. Relacionamento dos padrões de distribuição de peixes no Espírito Santo com áreas vizinhas (BA, MG e RJ)
    Resultado: Foram estabelecidas relações de padrões de distribuição de peixes de água doce entre as regiões do Espírito Santo e dos Estados vizinhos

 

Divulgação pública dos resultados do Projeto

Foram realizadas oito palestras e construída uma página do Projeto BIOdiversES na Internet ou  www.nossacasa.net/biodiverses/. 

Publicações científicas :

 

  1. A fauna de peixes das bacias norte do Espírito Santo incluindo as bacias dos rios Itaúnas e São Mateus. – Manuscrito submetido para publicação a revista “Sitientibus-Série Ciências Biológicas”, recebendo o número SCB_1149. No prelo
  2. A fauna de peixes das bacias do rio Doce no Espírito Santo incluindo as bacias do Rio Doce e Suruaca. – Manuscrito em elaboração, com previsão de ser submetido em 2011/2012 – necessitando ainda coletas em alguns pontos
  3. A fauna de peixes bacias nordeste do Espírito Santo incluindo as bacias dos rios Riacho e Piraquê Açu e as microbacias de Fundão e Aracruz. – Manuscrito em elaboração, com previsão de ser submetido em 2011/2012 – necessitando ainda coletas em alguns pontos
  4. A fauna de peixes das bacias centrais norte do Espírito Santo incluindo a bacia do Rio Reis Magos e as microbacias de Serra. – Manuscrito aceito para publicação no Boletim do Museu de Biologia Mello Leitão, com previsão para publicação em julho de 2011 (código BMBML 2010/9)
  5. A fauna de peixes centrais sul do Espírito, incluindo as bacias dos rios Santa Maria da Vitória e Jucu. – Manuscrito em elaboração, com previsão de ser submetido em 2011/2012 – necessitando ainda coletas em alguns pontos
  6. A fauna de peixes sudeste do Espírito Santo incluindo as bacias dos rios Benevente e Novo e as microbacias de Vila Velha, Guarapari e Itapemirim. Manuscrito submetido para publicação na revista “Sitientibus-Série Ciências Biológicas”, recebendo o número SCB_1041. No prelo
  7. A fauna de peixes sul do Espírito Santo incluindo as bacias dos rios Itapemirim e Itabapoana e microbacias de Marataízes e Presidente Kennedy – Manuscrito em final de elaboração com previsão de ser submetido no segundo semestre de 2011.

Deixe uma resposta