Uma floresta de comida

Coluna da Luisa
Luisa é uma das criadoras do Coletivo Córrego da Tiririca. Ela nos brinda com suas considerações sobre diversos aspectos ligados direta ou indiretamente com nosso projeto.



Uma floresta de comida – agricultura em sintropia com a paisagem

As vezes é confuso pensar em qual seria o modelo ideal para pensar no melhor jeito de se produzir o alimento. O jeito dos vegetais grandes e belos, sem nenhuma manchinha, esse é o certo? Será?

Hoje o cenário que temos é como se a natureza tivesse que “trabalhar” para a agricultura, resultando em solos cansados e exauridos. Uma agricultura que consome também muita água.

Vejam bem. A agricultura convencional é entrópica. A cada ciclo de cultivo o sistema perde energia, gerando entropia. Quanto mais se planta, mais insumo, adubo, corretivo se faz necessário para corrigir o solo.

A ideia da agricultura sintrópica é o inverso: é uma Agricultura de simbiose com a floresta. Qual a vantagem? Aumenta a atividade biológica. A natureza dá as condições e a agricultura é que deve ser “adaptada” para sobreviver naquele solo, naquele local.

O plantio sintrópico sai mais barato para o agricultor pois não precisa comprar adubo, corretivo ou veneno. Só precisa podar…

O próprio sistema gera sua própria energia, dispensando o uso de adubo, corretivos e veneno. A poda é o combustível da transformação no sistema sintrópico. Picar a matéria (galhos, madeira, folhas) e incorporar ao solo. Essa é a ideia.

E são nítidos os benefícios da agricultura sintrópica tanto para o meio ambiente quanto para o agricultor e a comunidade. Um deles é que não necessita tanta água como o sistema convencional, pois o solo fica protegido com uma manta de folhiço picado.

Estamos no início da estação chuvosa, que se estende de outubro a março na região sudeste do Brasil. Momento de plantar uma floresta de comida.

Na Mata Atlântica temos muitas possibilidades. Que tal plantar em sintropia? Se você vive no campo, pode aproveitar por exemplo a Serra do Mar, e no seu entorno sair plantando do jeito sintrópico. Os polinizadores, as sementes, pássaros e outros seres a floresta circundante já tem e te dá de presente. Quem vive em comunidade na periferia dos grandes centros uma horta comunitária pode ser um importante ingrediente, reduzindo a desigualdade social, contribuindo para a segurança alimentar.

Se você está na cidade, que tal trabalhar de forma coletiva? Plantar uma praça em frente ao seu prédio em sintropia. Além de visualmente mais bonita e agradável, a vizinhança vai ficar mais fresquinha com árvores, vegetais e flores. Imagine que legal tomar um suco da acerola quando você acompanha a planta frutificar da varanda do seu apartamento. Ou se está frio, colher umas folhas de capim limão e preparar um chá relaxante? São muitas possibilidades. E o melhor: a sintrópica precisa de muita gente para dar certo. Vamos?

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.