A chuva

Print Friendly, PDF & Email

A chuva (Jorge Luis Borges)

Tradução

Bruscamente a tarde se clariou
Porque já cai a chuva minuciosa.
Cai ou caiu. A chuva é uma coisa
Que sem dúvidas acontece no passado.

Quem escuta cair há recobrado
O tempo em que a sorte venturosa
Lhe revelou uma flor chamada rosa
E a curiosa cor do vermelho.

Esta chuva que cega os cristais
Alegrará em perdidos arredores
As negra uvas de uma videira certamente

Pátio que já não existe. A molhada
Tarde me trai a voz, a voz desejada,
De meu pai que retorna e que não morreu.

Publicações relacionadas

Adiamento Adiamento (Fernando Pessoa) Depois de amanhã, sim, só depois de amanhã... Le...
Neologismo Neologismo (Manuel Bandeira) Beijo pouco, falo menos ainda. Mas invento pala...
Preceito 05 Preceito 05 (Gregório de Matos) Vamos ao quinto preceito, Santo Antônio v...
Espiritualismo Espiritualismo (Antero de Quental) ...

Deixe uma resposta