Adolfo Casais Monteiro

Adolfo Casais Monteiro (1908-1972)
Nasceu, no Porto, em 4 de julho de 1908 e morreu em São Paulo, em 24 de julho de 1972. Licenciou-se em Ciências Históricas e Filosóficas pela Faculdade de Letras do Porto. Foi também ensaista, crítico de poesia.

Livros de poesia: Poemas do Tempo Incerto, 1932; Sempre e Sem Fim, 1937; Versos, 1944; Canto da Nossa Agonia, 1943; Noite Aberta aos Quatro Ventos, 1943; Europa, 1945; Simples Canções da Terra, 1949; Vôo sem Pássaro Dentro, 1954; Poesias Escolhidas, 1960; Poesias Completas, 1969.

Outras publicações: A Poesia de Jules Supervielle, 1938; Sobre o Romance Contemporâneo, 1940; O Romance e os seus Problemas, 1950; Fernando Pessoa e a Crítica, 1950; Estudos sobre a Poesia de Fernando Pessoa, 1958; Clareza e Mistério da Crítica, 1961; A Palavra Essencial, 1965; entre várias não citadas.

Publicações relacionadas

Aurora morta, foge! Soneto (Aurora morta, foge!) (Augusto dos Anjos) Soneto Aurora morta, foge...
Campos de Soria Campos de Soria (Antonio Machado) I Es la tierra de Soria, árida y fría. ...
Canta no espaço a passarada e ... Canta no espaço a passarada e canta - Soneto (Augusto dos Anjos) Canta no esp...
Ensinamento Ensinamento (Adélia Prado) Minha mãe achava estudo a coisa mais fina do mund...

Deixe uma resposta