Walt Whitman

Print Friendly, PDF & Email
Walt Whitman (1819-1892)


POEMAS PUBLICADOS

BIOGRAFIA:

Walt Whitman nasceu em West Hills, Huntington (Long Island), a 31 de Maio de 1819, e foi educado com a rigidez característica dos quakers, comunidade de que sua mãe, Louisa Van Velsor, de origem holandesa, fazia parte.

O perfil de Whitman, que começara como paquete no escritório de um advogado e fora aprendiz de tipógrafo, era considerado pouco ortodoxo para um mestre-escola.

Em 1841 mudou-se para Manhattan (na infância e adolescência tinha vivido largas temporadas em Brooklyn). Trabalha como jornalista no Broadway Journal, dirigido então por Edgar Allan Poe, no Columbia Magazine, em New World e no Brooklyn Eagle (1846-48), de que foi despedido pelas suas posições anti-escravagistas.

Ecléctico, assina crítica de ópera e teatro, relatos de jogos de baseball, crónicas do quotidiano, artigos sobre a questão esclavagista, pequenos contos, ficção «gótica», guias de viagem, etc. É também dessa época a publicação de Franklin Evans (1842). Participa com ardor da vida da cidade, e, apesar da reputação de dandy, não deixa de frequentar night-clubs e bares de má nota, nem prescinde de conviver com operários e marinheiros.

Tem 29 anos quando lhe oferecem um lugar na redacção do Crescent, de Nova Orleans. Antes de regressar a Nova Iorque, onde editará o Brooklyn Freeman (1948-49), visita St. Louis e Chicago, atravessa o Michigan e vai até às cataratas do Niagara. Volta como free-lancer ao jornalismo, ajuda o pai na construção civil (com o mesmo desembaraço com que na adolescência havia alugado os braços à lavoura), trabalha numa papelaria e especula no imobiliário.

A morte do pai, Walter Whitman, ocorre em 1855. É o ano da primeira edição (anonima) de Leaves of Grass. O volume, de 100 páginas, não traz o nome do editor, nem o do autor. Apenas um retrato do poeta em mangas de camisa. O copyright é de Walter Whitman.

No Times, de Brooklyn, que edita entre 1857-59, escreve anoninamente textos laudatórios sobre si mesmo e acerca de Leaves of Grass. É a reacção à barragem hostil da crítica institucional, que via nele um «monstro». Quando, em 1860, vai a Boston para o lançamento da 3.ª edição (aumentada para 154 poemas), é já um autor reconhecido. Celebridades como Bronson Alcott, pedagogo e místico [1799–1888], H. D. Thoreau, escritor [1817–1862], ou Breck Trowbridge, arquitecto [1862-1925], não regateiam elogios e amizade.

Whitman tinha quase 42 anos quando rebentou a guerra civil (1860–65). Estava então em Brooklyn, na companhia da mãe, e colaborava num semanário, o Standard. O irmão mais novo, George, tinha-se alistado como voluntário. Em Dezembro de 1862, tinha recebido a notícia do ferimento do irmão, durante a primeira batalha de Fredericksburg (Virgínia).

Partiu imediatamente para Washington, fez uma busca exaustiva nos hospitais de campanha, instalados em igrejas e mansões, mas tudo em vão. O périplo deu-lhe uma imagem inescapável do conflito. Vai então para o front e encontra George, cujo ferimento não era grave. Mas, pela primeira vez na vida, viu a morte de muito perto. O relato dessa experiência foi mais tarde publicado em Memoranda During the War (1875-76).

Whitman era um unionista convicto, e o assassinato de Lincoln provocou nele uma angústia desmedida. Escreve, sob o efeito da tragédia, «When Lilacs Last in the Dooryard Bloom’d», uma elegia que é considerada um dos textos mais tocantes da literatura americana de todos os tempos.

O ano de 1871 é o da emancipação dos negros e da XIV Emenda à Constituição (que lhes dá o direito de votar). É também o ano da Exposição Internacional de Nova Iorque, onde Whitman declama alguns poemas inéditos, e o da 5.ª edição de Leaves of Grass, de que são feitas duas tiragens com poucos meses de intervalo. A coletânea colige agora um total de 273 poemas. Publica, ainda nesse ano, Democratic Vistas. O estilo é seco e descritivo. A obra questiona a corrupção social e política daqueles tempos. No ano seguinte vai a Hanover, no New Hampshire, a convite do Dartmouth College, uma universidade de tradições liberais.E, em 1873, sofre dois reveses significativos. A 23 de Janeiro, fica paralisado do lado esquerdo. Em Abril, recuperou parte da antiga agilidade. Mas, a 23 de Maio, Louisa Van Velsor, sua mãe, morre. Foi para ele o mais rude dos golpes. Tem crises de hemiplegia pertinaz, deixa-se abater, está um farrapo. Vai viver para casa do irmão George, em Camden (New Jersey).

Ainda não recuperado da depressão, fisicamente debilitado, é informado, em Julho de 1874, da sua demissão do Ministério da Justiça. Não desiste. Em 1876, faz sair dos prelos a 6.ª edição de Leaves of Grass (chamada «do centenário» por coincidir com o centenário da declaração de independência dos Estados Unidos), anualmente composta por si, em Camden, na tipografia de um amigo. A obra aparece desta vez em dois volumes: o 1.º reproduz a edição anterior e no 2.º aparecem os ensaios e
vinte poemas inéditos.

Divide agora o seu tempo entre Camden e Filadélfia, onde vivia Anne Gilchrist [1828-1885]. A autora de Life of Etty (1855), estudiosa e biógrafa de Blake e Mary Lamb, grande admiradora da poesia de Whitman, viveu nos Estados Unidos entre 1876-1879, tendo ajudado a aglutinar à volta do amigo um elo de apoios materiais e cumplicidades electivas. Em 1879, Whitman faz a sua primeira viagem ao Oeste. Está meio-paralítico, tem 60 anos, mas vai até ao outro lado do continente: parte de Filadélfia e atravessa as Montanhas Rochosas.

Em 1882 publica Collect, que inclui relatos do tempo da guerra civil. É ainda nesse ano que conhece Oscar Wilde, então com 28 anos. Wilde está de visita a Nova Iorque para uma série de conferências a pretexto do lançamento do seu primeiro livro de poemas.

Em 1888 sofre novo ataque de paralisia, mais grave que os anteriores. Nesse ano, com o apoio mecenático de Horace Traubel, vê publicados dois novos volumes: November Boughs, que reúne 62 poemas inéditos, e Complete Poems and Prose of Walt Whitman, um catarpácio de 900 páginas. A 8.ª edição (1889), publicada simultaneamente em Glasgow, na Escócia, esgota rapidamente.

A 26 de Março de 1892, aos 72 anos, morre paralítico. Foi sepultado em Camden (New Jersey).

Publicações relacionadas

Eduardo Gudynas Eduardo Gudynas PUBLICAÇÕES Eduardo Gudynas es analista en t...
Cora Coralina Cora Coralina (1889-1985) POEMAS PUBLICADOS BIOGRAFIA: Co...
Mário de Andrade Mário de Andrade (1893-1945) POEMAS PUBLICADOS BIOGRAFIA: ...
Ana Cristina Cesar Ana Cristina Cesar (1952-1983) POEMAS PUBLICADOS BIOGRAFIA: ...

Deixe uma resposta