A morte chega cedo

Print Friendly, PDF & Email

A morte chega cedo (Fernando Pessoa)

A morte chega cedo,
Pois breve é toda vida
O instante é o arremedo
De uma coisa perdida.

O amor foi começado,
O ideal não acabou,
E quem tenha alcançado
Não sabe o que alcançou.

E tudo isto a morte
Risca por não estar certo
No caderno da sorte
Que Deus deixou aberto.

Publicações relacionadas

Às vezes com as pessoas a quem... Às vezes com as pessoas a quem amo (Walt Whitman) Às vezes com as pesoas a qu...
Pero Vaz de Caminha Pero Vaz de Caminha (Oswald de Andrade) a descoberta Seguimos nosso caminho ...
Os maus e os bons Os maus e os bons (Bertold Brecht) "Os maus temem tuas garras Os bons se al...
Leituras machadianas Leituras machadianas(Machado de Assis) ...

Deixe uma resposta