Se eu fosse um padre

Print Friendly, PDF & Email

Se eu fosse um padre (Mário Quintana)
Tão lenta e serena e bela e majestosa
[vai passando a vaca
Que, se fora na manhã dos tempos, de rosas a coroaria
A vaca natural e simples como a primeira canção
A vaca, se cantasse,
Que cantaria?
Nada de óperas, que ela não é dessas, não!
Cantaria o gosto dos arroios bebidos de madrugada,
Tão diferente do gosto de pedra do meio-dia!
Cantaria o cheiro dos trevos machucados.
Ou, quando muito,
A longa, misteriosa vibração dos alambrados…
Mas nada de superaviões, tratores, êmbolos
E outros truques mecânicos!

Publicações relacionadas

A donzela e o fantasma –... A donzela e o fantasma - IV (Oscar Wilde) CAPÍTULO IV No dia imediato o fa...
Digo que não sou um homem puro... Digo que não sou um homem puro (Nicolás Guillén) ...
Aurora Aurora (Federico Garcia Lorca) De “Poeta...
Veinte poemas de amor y una ca... Veinte poemas de amor y una canción desesperada - 06 (Pablo Neruda) Te recuer...

Deixe uma resposta