Bilhete

Print Friendly, PDF & Email

Bilhete (Mário Quintana)

Se eu fosse um padre, eu, nos meus sermões,
não falaria em Deus nem no Pecado
– muito menos no Anjo Rebelado
e os encantos das suas seduções,

não citaria santos e profetas:
nada das suas celestiais promessas
ou das suas terríveis maldições…
Se eu fosse um padre eu citaria os poetas,

Rezaria seus versos, os mais belos,
desses que desde a infância me embalaram
e quem me dera que alguns fossem meus!

Porque a poesia purifica a alma
… a um belo poema – ainda que de Deus se aparte –
um belo poema sempre leva a Deus!

Publicações relacionadas

P.M.S.L. P.M.S.L. (Ferreira Gullar) Impossivel é não odiar estas manhãs sem teto e...
André Chénier André Chénier (Augusto dos Anjos) Na real magnificência dos gigantes Grave c...
Brisa Brisa (Manuel Bandeira) Vamos viver no Nordeste, Anarina. Deixarei aqui meu...
A um poeta Saxônio A um poeta Saxônio (Jorge Luis Borges) Tradução Tu cuja carne, hoje disper...

Deixe uma resposta