Insânia

Print Friendly, PDF & Email

Insânia (Augusto dos Anjos)

No mundo vago das idealidades
Afundei minha louca fantasia;
Cedo atraiu-me a auréola fulgidia
Da refulgência antiga das idades.

Mas ao esplendor das velhas majestades
Vacila a mente e o seu ardor esfria;
Busquei então na nebulosa fria
Das Ilusões, sonhar novas idades.

Que desespero insano me apavora!
Aqui, chora um ocaso sepultado;
Ali, pompeia a luz da branca aurora

E eu tremo e hesito entre um mistério escuro
– Quero partir em busca do Passado
– Quero correr em busca do Futuro.

Publicações relacionadas

Rostro de vos Rostro de vos (Mario Benedetti) Tengo una soledad tan concurrida tan llen...
Budismo Moderno Budismo Moderno (Augusto dos Anjos) Tome, Dr., esta tesoura e... corte Minha...
Epitáfio Para Gorki Epitáfio Para Gorki (Bertold Brecht) Aqui jaz O enviado dos bairros da misér...
Paisagem N.º 1 Paisagem N.º 1 (Mário de Andrade) Minha Londres das neblinas finas! Pleno ve...

Deixe uma resposta