Mário de Sá Carneiro

Mário de Sá Carneiro (1890-1916)
Nasceu em Lisboa em 19 de maio de 1890 e morreu em Paris em 26 de abril de 1916. Foi uma das mais importantes figuras do Modernismo Português, grande amigo e companheiro de Fernando Pessoa, tendo sido um dos fundadores da revista “Orpheu”.

Foi um poeta singular, sincero em toda extensão de sua vida breve, e fiel até à morte aos princípios estéticos que julgava essenciais para a sua realização como homem e como escritor. Não foi um fingidor, mas, parodoxalmente, um realista perante a vida e o seu trágico suicídio aos 26 anos, deu a medida segura, a honestidade humana de seu drama de poeta – fora da vida, é certo, e mesmo um pouco fora do seu tempo, porque foi um antecipador – mas não por querer abdicar da profunda condição de poeta.

OBRAS
Foi como contista que principiou a sua breve mas significativa carreira nas letras, publicando inicialmente o volume “Princípio” em 1912. Os 12 poemas de “Dispersão” e a ” A confissão de Lúcio” foram editados em 1941. As novelas de “Céu em Fogo” apareceram em 1915. Só em 1937 foram publicados os poemas de “Indícios de Oiro”. Foram publicados em 1958 o Cartas a Fernando Pessoa.

Publicações relacionadas

Gonçalves Dias Gonçalves Dias (1823-1864) Nascido no Maranhão, filho de pai português e mãe ...
Apocalipse Apocalipse (Augusto dos Anjos) Minha divinatória Arte ultrapassa os séculos ...
Ave Dolorosa Ave Dolorosa (Augusto dos Anjos) Ave perdida para sempre - crença Perdida - ...
Florbela Espanca Florbela Espanca (1894-1930) Florbela de Alma Conceição Espanca (1894-1930) n...

Deixe uma resposta