Sonhos de Aninha

Print Friendly, PDF & Email

Sonhos de Aninha (Cora Coralina)

Que a mesa esteja sempre posta para a oferta
modesta.
O pão da esperança e o vinho da alegria.
Combater o pessimismo e acreditar nos valores
humanos,
no patriotismo dos que governam e na recuperação
demorada dos erros e violências do presente.
Garimpar mentalmente, batear numa serra distante,
no estado vizinho,
dita Serra pelada. Toda de ouro e mais Carajás,
toda de mistérios insondáveis,
para pagar todas as dívidas do Brasile seus
contratos onerosos.
Exportar minérios, tantos, ainda não catalogados.
Ferro e ouro, ouro e ferro.
Quebrar os grilhões do débito.
Estas e outras esperanças e certezas.
Sonhos de Aninha.

Publicações relacionadas

A Noite A Noite (Augusto dos Anjos) A nebulosidade ameaçadora Tolda o éter, mancha a...
Andorinha Andorinha (Manuel Bandeira) Andorinha lá fora está dizendo: — "Passei o di...
Louvor a Unidade Louvor a Unidade (Augusto dos Anjos) Escafandros, arpões, sondas e agulhas D...
Não me fechem as portas Não me fechem as portas (Walt Whitman) Não me fechem as portas, orgulhosas b...

Deixe uma resposta