Em pé

Print Friendly, PDF & Email

Em pé (Mario Benedetti)

Do livro “Inventário”
Tradução de Julio Luís Gehlen

Continuo em pé
por pulsar
por costume
por não abrir a janela decisiva
e olhar de uma vez a insolente
morte
essa mansa dona da espera

continuo em pé
por preguiça nas despedidas
no fechamento e demolição
da memória

não é um mérito
outros desafiam
a claridade
o caos
ou a tortura

continuar em pé
quer dizer coragem

ou não ter
onde cair
morto.

Publicações relacionadas

Estado de ânimo Estado de ânimo (Mario Benedetti) Tradução As vezes me sinto como uma águ...
Muerte y juicio Muerte y juicio (Rafael Alberti) 1 (MUERTE) ...
Lisbon revisited (1926) Lisbon revisited (1926) (Álvaro de Campos) Nada me prende a nada. Quero cin...
Ausência Ausência (Vinicius de Moraes Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar os...

Deixe uma resposta