Canto da estrada real – 15

Print Friendly, PDF & Email

Canto da estrada real – 15 (Walt Whitman)

Tradução de Mário Ferreira dos Santos

Vamos! O caminho está aberto à nossa frente!
Ele é seguro, eu já experimentei, meus pés já o provocam cuidadosamente: que nada te retenha!
Que as folhas fiquem abertas sobre a mesa, e os livros sem abrir em seu armário!
Que os instrumentos permaneçam nas oficinas! Que o dinheiro permaneça sem ser ganho!
Que repouse a escola! Não importam os brados dos mestres!
Que o pregador pregue em sua cátedra! Que arrazoe o advogado no tribunal, e o juiz exponha a lei.
Camarada, dá-me tua mão!
Eu te dou meu afeto mais precioso que o dinheiro,
eu te dou a mim mesmo em vez de prédicas e de leis.
Queres dar-te a mim? Queres seguir comigo?
Seguiremos juntos, um ao lado do outro, enquanto durarem nossas vidas!

Publicações relacionadas

Quando entre nós só havia uma ... Quando entre nós só havia uma carta (Ana Cristina Cesar) Quando entre nós só ...
Coito Coito (Ferreira Gullar) Todos os movimentos do amor são noturn...
Um homem com uma dor Um homem com uma dor (Paulo Leminski) um homem com uma dor é muito ma...
Vontade de dormir Vontade de dormir (Mário de Sá Carneiro) Fios de oiro puxam por mim a soergu...

Deixe uma resposta