Só enquanto isso

Print Friendly, PDF & Email

Só enquanto isso (Mario Benedetti)

Do livro “Só enquanto isso”
Tradução de Julio Luís Gehlen

Você volta, dia de sempre,
rompendo o ar justamente onde
o ar tinha crescido feito muros.

Você porém nos ilumina brutalmente
e na simples náusea da sua claridade
sabemos quando nos cairão os olhos,
o coração, a pele das recordações.

Claro, enquanto isso
há frases, há pétalas, há rios,
há a ternura como um vento úmido.
Só enquanto isso.

Publicações relacionadas

Cristais Cristais (Augusto dos Anjos) Mais claro e fino do que as finas pratas ...
Aqui onde se espera Aqui onde se espera (Fernando Pessoa) Aqui onde se espera - Sossego, só sos...
As mãos de meu pai As mãos de meu pai (Mário Quintana) As tuas mãos têm grossas veias como corda...
Brasil Brasil (Oswald de Andrade) O Zé Pereira chegou de caravela E perg...

Deixe uma resposta