Só enquanto isso

Print Friendly, PDF & Email

Só enquanto isso (Mario Benedetti)

Do livro “Só enquanto isso”
Tradução de Julio Luís Gehlen

Você volta, dia de sempre,
rompendo o ar justamente onde
o ar tinha crescido feito muros.

Você porém nos ilumina brutalmente
e na simples náusea da sua claridade
sabemos quando nos cairão os olhos,
o coração, a pele das recordações.

Claro, enquanto isso
há frases, há pétalas, há rios,
há a ternura como um vento úmido.
Só enquanto isso.

Publicações relacionadas

Canção do exílio Canção do exílio (Gonçalves Dias) Minha terra tem palmeiras, Onde canta o Sabi...
Lápide Lápide (Paulo Leminski) Lápide 1 epitáfio para o corpo Aqui jaz um g...
Canto de agonia Canto de agonia (Augusto dos Anjos) Agonia de amor, agonia bendita! - Misto ...
Aço e flor Aço e flor (Paulo Leminski) Quem nunca viu que a flor, a faca e a...

Deixe uma resposta