Vladmir_Maiakowski

Tu

Print Friendly, PDF & Email

Tu (Vladmir Maiakowski)

Tradução de E. Carrera Guerra

Entraste.
A sério, olhaste
a estatura
o bramido
e simplesmente adivinhaste:
uma criança.
Tomaste, arrancaste-me o coração
e simplesmente foste com ele jogar
como uma menina com sua bola.
E todas,
como se vissem um milagre,
senhoras e senhoritas exclamaram:
– A esse amá-lo?
Se se atira em cima,
derruba a gente!
Ela, com certeza, é domadora!
Por certo, saiu duma jaula!
E eu de júbilo
esqueci o jugo.
Louco de alegria
saltava
como em casamento de índio,
tão leve,
tão bem me sentia

Publicações relacionadas

Adélia por Adélia Adélia por Adélia (Adélia Prado) "Uma das mais remotas experiências poéticas ...
Retrato Retrato (Antonio Machado) Mi infancia son recuerdos de un patio de Sevilla,...
Marcha de quarta-feira de cinz... Marcha de quarta-feira de cinzas (Vinicius de Moraes Acabou nosso carnaval ...
De que cor? De que cor? (Nicolás Guillén) De...

Deixe uma resposta