Vladmir_Maiakowski

Impossível

Print Friendly, PDF & Email

Impossível (Vladmir Maiakowski)

Tradução de E. Carrera Guerra

Sozinho não posso
carregar um piano
e menos ainda um cofre-forte.
Como poderia então
retomar de ti meu coração
e carregá-lo de volta?
Os banqueiros dizem com razão:
“Quando nos faltam bolsos,
nós que somos muitíssimos ricos,
guardamos o dinheiro no banco”.
Em ti
depositei meu amor,
tesouro encerrado em caixa de ferro,
e ando por aí
como um Creso contente
É natural, pois,
quando me dá vontade
que eu retire um sorriso,
a metade de um sorriso
ou menos até
e indo com as donas
eu gaste depois da meia-noite
uns quantos rublos de lirismo à toa.

Publicações relacionadas

A donzela e o fantasma –... A donzela e o fantasma - VII (Oscar Wilde) CAPÍTULO VI Daí...
Monja Monja (Cruz e Souza) Ó Lua, Lua triste, amargurada, Fantasma de b...
Soma Soma (Arnaldo Antunes) mais que lento: parado mais que parado: morto mais...
Se souberas falar também falar... Se souberas falar também falarás (Gregório de Matos) Se souberas falar também...

Deixe uma resposta