Vladmir_Maiakowski

Impossível

Print Friendly, PDF & Email

Impossível (Vladmir Maiakowski)

Tradução de E. Carrera Guerra

Sozinho não posso
carregar um piano
e menos ainda um cofre-forte.
Como poderia então
retomar de ti meu coração
e carregá-lo de volta?
Os banqueiros dizem com razão:
“Quando nos faltam bolsos,
nós que somos muitíssimos ricos,
guardamos o dinheiro no banco”.
Em ti
depositei meu amor,
tesouro encerrado em caixa de ferro,
e ando por aí
como um Creso contente
É natural, pois,
quando me dá vontade
que eu retire um sorriso,
a metade de um sorriso
ou menos até
e indo com as donas
eu gaste depois da meia-noite
uns quantos rublos de lirismo à toa.

Publicações relacionadas

Samba – canção Samba-canção (Ana Cristina Cesar) Tantos poemas que perdi. Tantos que ouvi, ...
Pastor do Monte Pastor do Monte (Alberto Caeiro) Pastor do monte, tão longe de mim com as t...
Paisagem Paisagem (Oswald de Andrade) Na atmosfera violeta A madrugada desbota Uma p...
Visão da morte Visão da morte (Cruz e Souza) Olhos voltados para mim e abertos O...

Deixe uma resposta