No corpo feminino, esse retiro

Print Friendly, PDF & Email

No corpo feminino, esse retiro (Carlos Drummond de Andrade)

No corpo feminino, esse retiro
– a doce bunda – é ainda o que prefiro.
A ela, meu mais íntimo suspiro,
pois tanto mais a apalpo quanto a miro.
Que tanto mais a quero, se me firo
em unhas protestantes, e respiro
a brisa dos planetas, no seu giro
lento, violento… Então, se ponho e tiro

a mão em concha – a mão, sábio papiro,
iluminando o gozo, qual lampiro,
ou se, dessedentado, já me estiro,

me penso, me restauro, me confiro,
o sentimento da morte eis que adquiro:
de rola, a bunda torna-se vampiro.

Publicações relacionadas

Agregado infeliz de sangue e c... Agregado infeliz de sangue e cal... (Augusto dos Anjos) Consulto o Phtah-Hote...
A descoberta A descoberta (Oswald de Andrade) Seguimos nosso caminho por este mar de longo...
Preceito 08 Preceito 08 (Gregório de Matos) As culpas, que me dão nele, são, que em t...
Las moscas Las moscas (Antonio Machado) Vosotras, las familiares, inevitables golosas, ...

Deixe uma resposta