Nada, esta espuma

Print Friendly, PDF & Email

Nada, esta espuma (Ana Cristina Cesar)

Por afrontamento do desejo
insisto na maldade de escrever
mas não sei se a deusa sobe à superfície
ou apenas me castiga com seus uivos.
Da amurada deste barco
quero tanto os seios da sereia.

Publicações relacionadas

O cavalo baloiço vencedor O cavalo baloiço vencedor (David Hebert Lawrence) Havia uma mulher que er...
Epitáfio Epitáfio (Walt Whitman) Eu parto com o ar – sacudo minha neve branca ao sol q...
Canção II Canção II (Cecília Meireles) Quero um dia para chorar. Mas a vida vai tão d...
Preceito 03 Preceito 03 (Gregório de Matos) Pois no que toca a guardar dias Santos, e...

Deixe uma resposta