Nada, esta espuma

Print Friendly, PDF & Email

Nada, esta espuma (Ana Cristina Cesar)

Por afrontamento do desejo
insisto na maldade de escrever
mas não sei se a deusa sobe à superfície
ou apenas me castiga com seus uivos.
Da amurada deste barco
quero tanto os seios da sereia.

Publicações relacionadas

Invocação Invocação (Álvares de Azevedo) Variações em todas as cordas I Alma de f...
Dilacerações Dilacerações (Cruz e Souza) Ó carnes que eu amei sangrentamente, ...
A água chia no púcaro que elev... A água chia no púcaro que elevo à boca (Alberto Caeiro) A água chia no p...
Evocação do Recife Evocação do Recife (Manuel Bandeira) Recife Não a Veneza americana Não a Ma...

Deixe uma resposta