Amor e Crença

Print Friendly, PDF & Email

Amor e Crença (Augusto dos Anjos)

E sê bendita!
H. Sienkiewicz

Sabes que é Deus?! Esse infinito e santo
Ser que preside e rege os outros seres,
Que os encantos e a força dos poderes
Reúne tudo em si, num só encanto?

Esse mistério eterno e sacrossanto,
Essa sublime adoração do crente,
Esse manto de amor doce e clemente
Que lava as dores e que enxuga o pranto?!

Ah! Se queres saber a sua grandeza,
Estende o teu olhar à Natureza,
Fita a cúp’la do Céu santa e infinita!

Deus é o templo do Bem. Na altura Imensa,
O amor é a hóstia que bendiz a Crença,
ama, pois, crê em Deus, e… sê bendita!

Publicações relacionadas

A ponto de partir A ponto de partir (Ana Cristina Cesar) A ponto de partir, já sei que noss...
Das utopias Das utopias (Mário Quintana) Se as coisas são inatingíveis... ora! não é m...
Fausto – Parte I (1806) ... Fausto - Parte I (1806) - resumo (Johann Wofgang von Goethe) A sede de onipot...
La poesia La poesia (Octavio Paz) Llegas, silenciosa, secreta, y despiertas los furor...

Deixe uma resposta