Conciliação

Print Friendly, PDF & Email

Conciliação (Cruz e Souza)

Se essa angústia de amar te crucifica,
Não és da dor um simples fugitivo:
Ela marcou-te com o sinete vivo
Da sua estranha majestade rica.

És sempre o Assinalado ideal que fica
Sorrindo e contemplando o céu altivo;
Dos Compassivos és o compassivo,
Na Transfiguração que glorifica.

Nunca mais de tremer terás direito…
Da Natureza todo o Amor perfeito
Adorarás, venerarás contrito.

Ah! Basta encher, eternamente basta
Encher, encher toda esta Esfera vasta
Da convulsão do teu soluço aflito!

Publicações relacionadas

Viagem de um vencido Viagem de um vencido (Augusto dos Anjos) Noite. Cruzes na estrada. Aves com f...
Canção da formosura Canção da formosura (Cruz e Souza) Vinho de sol ideal canta e cintila ...
Angústia Quarta Angústia Quarta (Nicolás Guillén) ...
De la ciudad moruna De la ciudad moruna (Antonio Machado) De la ciudad moruna tras las murallas ...

Deixe uma resposta