Visão da morte

Print Friendly, PDF & Email

Visão da morte (Cruz e Souza)

Olhos voltados para mim e abertos
Os braços brancos, os nervosos braços,
Vens d’espaços estranhos, dos espaços
Infinitos, intérminos, desertos…

Do teu perfil os tímidos, incertos
Traços indefinidos, vagos traços
Deixam, da luz nos ouros e nos aços,
Outra luz de que os céus ficam cobertos.

Deixam nos céus uma outra luz mortuária,
Uma outra luz de lívidos martírios,
De agonies, de mágoa funerária…

E causas febre e horror, frio, delírios,
Ó Noiva do Sepulcro, solitária,
Branca e sinistra no clarão dos círios!

Publicações relacionadas

Bem no Fundo Bem no Fundo (Paulo Leminski) No fundo, no fundo, bem lá no fundo, a gent...
Madona da Tristeza Madona da Tristeza (Cruz e Souza) Quando te escuto e te olho reverente E sin...
Ai daqueles Ai daqueles (Paulo Leminski) Ai daqueles Que se amaram sem nenhuma briga Aq...
Abandonada Abandonada (Augusto dos Anjos) Ao meu irmão Odilon dos Anjos Bem depressa ...

Deixe uma resposta