Lento mas vem

Print Friendly, PDF & Email

Lento mas vem (Mario Benedetti)

Do livro “Perguntas ao acaso”
Tradução de Julio Luís Gehlen

Lento mas vem
o futuro se aproxima
devagar
mas vem

hoje está mais além
das nuvens que escolhe
e mais além do trovão
e da terra firme

demorando-se vem
qual flor desconfiada
que vigila ao sol
sem perguntar-lhe nada

iluminando vem
as últimas janelas

lento mas vem
o futuro se aproxima
devagar
mas vem

já se vai aproximando
nunca tem pressa
vem com projetos
e sacos de sementes

com anjos maltratados
e fiéis andorinhas

devagar mas vem
sem fazer muito ruído
cuidando sobretudo
os sonhos proibidos

as recordações dormidas
e as recém-nascidas

lento mas vem
o futuro se aproxima
devagar
mas vem

já quase está chegando
com sua melhor notícia
com punhos com olheiras
com noites e com dias

com uma estrela pobre
sem nome ainda

lento mas vem
o futuro real
o mesmo que inventamos
nos mesmos e o acaso

cada vez mais nós mesmos
e menos o acaso

lento mas vem
o futuro se aproxima
devagar
mas vem

lento mas vem
lento mas vem
lento mas vem.

Publicações relacionadas

A descoberta A descoberta (Oswald de Andrade) Seguimos nosso caminho por este mar de longo...
Adivinhações Adivinhações (Nicolás Guillén) D...
No meio da noite No meio da noite (Adélia Prado) Acordei meu bem pra lhe contar meu sonho: se...
As Montanhas As Montanhas (Augusto dos Anjos) I Das nebulosas em que te emaranhas Leva...

Deixe uma resposta