Print Friendly, PDF & Email

(Florbela Espanca)

Eu tenho pena da Lua!
Tanta pena, coitadinha,
Quando tão branca, na rua
A vejo chorar sozinha!…

As rosas nas alamedas,
E os lilases cor da neve
Confidenciam de leve
E lembram arfar de sedas

Só a triste, coitadinha…
Tão triste na minha rua
Lá anda a chorar sozinha …

Eu chego então à janela:
E fico a olhar para a lua…
E fico a chorar com ela! …

Publicações relacionadas

Vive Vive (Alberto Caeiro) Vive, dizes, no presente, Vive só no presente. Mas ...
Rostro de vos Rostro de vos (Mario Benedetti) Tengo una soledad tan concurrida tan llen...
A Aeronave A Aeronave (Augusto dos Anjos) Cindindo a vastidão do Azul profundo, Sulcand...
Poema da Necessidade Poema da Necessidade (Carlos Drummond de Andrade) É preciso casar João, é p...

Deixe uma resposta