Coito

Print Friendly, PDF & Email

Coito (Ferreira Gullar)

Todos os movimentos
do amor
são noturnos
mesmo quando praticados
à luz do dia

Vem de ti o sinal
no cheiro ou no tato
que faz acordar o bicho
em seu fôsso:
na treva, lento,
se desenrola
e deslisa
em direção a teu sorriso

Hipnotiza-te
com seu guizo
envolve-te
em seus anéis
corredios
beija-te
a boca em flor
e por baixo
com seu esporão
te fende te fode
e se fundem
no gôzo
depois
desenfia-se de ti
a teu lado
na cama
recupero minha forma usual.

Publicações relacionadas

Um homem pessimista Um homem pessimista (Bertold Brecht) Um homem pessimista É tolerante. Ele s...
Eu Eu (Paulo Leminski) eu quando olho nos olhos sei quando uma pessoa e...
O descalabro a ócio e estrelas... O descalabro a ócio e estrelas... (Álvaro de Campos) O descalabro a ócio e es...
O ter deveres, que prolixa coi... O ter deveres, que prolixa coisa! (Álvaro de Campos) O ter deveres, que proli...

Deixe uma resposta