Fim

Print Friendly, PDF & Email

Fim (Mário de Sá Carneiro)

Quando eu morrer batam em latas,
Rompam aos saltos e aos pinotes,
Façam estalar no ar chicotes,
Chamem palhaços e acrobatas!

Que o meu caixão vá sobre um burro
Ajaezado à andaluza…
A um morto nada se recusa,
E eu quero por força ir de burro!

Publicações relacionadas

Rosa Rilke Raimundo Correia Rosa Rilke Raimundo Correia (Paulo Leminski) Uma pálpebra, Mais uma, ...
O Meu Nirvana O Meu Nirvana (Augusto dos Anjos) Olha agora, mamífero inferior, A luz da e...
Ápice Ápice (Mário de Sá Carneiro) O raio do sol da tarde Que uma janela perdida ...
Hoje de Manhã Hoje de Manhã (Alberto Caeiro) Hoje de manhã saí muito cedo, Por ter ...

Deixe uma resposta