Canto da estrada real – 05

Print Friendly, PDF & Email

Canto da estrada real – 05 (Walt Whitman)

Tradução de Mário Ferreira dos Santos

A partir desta hora, ordeno a mim mesmo: liberta-te dos limites e das linhas imaginárias,
Irei aonde eu quiser, senhor total e absoluto de mim mesmo,
Escutarei os outros, examinarei atentamente o que dizem,
Deter-me-ei, aceitarei, meditarei,
E mansamente, mas com vontade indomável, hei de me esquivar aos compromissos que me queiram aprisionar.
Aspiro grandes golfadas de espaço.
O leste e o oeste me pertencem, o norte e o sul me pertencem
Sou maior e melhor do que eu pensava
Eu não sabia que em mim continha tantas coisas boas.
Tudo me parece admirável.
Posso sem cessar repetir aos homens e mulheres.
Vós me fizestes tanto bem que eu desejaria outro tanto devolver-vos.
Quero ao largo dos caminhos absorver forças novas para mim e para vós.
Eu me dispersarei entre os homens e as mulheres do meu caminho,
Espargirei uma alegria e uma nudez nova entre eles,
Se alguém me repelir, não me perturbarei,
Quem me aceitar, ele ou ela, por mim será bendito e me abençoará.

Publicações relacionadas

Sabete aquí Sabete aquí (Mario Benedetti) Podés querer el alba cuando quieras he cons...
Canto negro Canto negro (Nicolás Guillén) De Sóngoro cosongo ...
O poema do frade O poema do frade (Álvares de Azevedo) Fragmentos interligados Meu herói é ...
Debaixo do Tamarindo Debaixo do Tamarindo (Augusto dos Anjos) No tempo de meu Pai, sob estes galho...

Deixe uma resposta