Confiança

Print Friendly, PDF & Email
Confiança (David Hebert Lawrence)

Tradução de Leonardo Fróes

Ó temos de confiar
um de novo no outro
em pontos básicos.

Não a estreita, mesquinha
confiança de barganha
que diz: sou teu
se você for minha.

Uma confiança maior
uma confiança do sol
que não se perturba em nada
com a ferrugem, as traças,
e que um no outro nós vemos
brilhando em cada.

Ó não me confie
não me sobrecarregue
com sua vida e questões; não me envolva
em suas preocupações.

Acho que é melhor confiar
no sol em mim
que brilha exatamente com tanto
brilho quanto você vê
em mim, e não mais.

E se ele esquenta
o cerne célere do seu coração,
confie pois nele, que forma
uma fidelidade a mais.

E seja, ó seja
um sol para mim,
não uma personalidade
constante, insistente,

mas um sol que cintila
e escurece, mas logo
cintila de novo e entrança
com o brilho do sol em mim

Publicações relacionadas

Das coisas Das coisas (Paulo Leminski) que eu fiz a metro todos saberão quantos quilôm...
Quando eu Quando eu (Alberto Caeiro) Quando eu não te tinha Amava a Natureza como um ...
Animais Animais (Walt Whitman) Penso que poderia desviar-me e viver com os animais, s...
Assim como falham as palavras Assim como falham as palavras (Alberto Caeiro) Assim como falham as palavr...

Deixe uma resposta