O silêncio e o mar

Print Friendly, PDF & Email

O silêncio e o mar (Mario Benedetti)

Do livro “Geografias”
Tradução de Julio Luís Gehlen

e o silêncio do mar, e o de sua vida
José Hierro

O silêncio do mar
brama um juízo infinito
mais concentrado que o de um cântaro
mais implacável que duas gotas

quer aproxime o horizonte ou nos entregue
a morte azul das medusas
nossas suspeitas não o deixam

o mar escuta como um surdo
é insensível como um deus
e sobrevive aos sobreviventes

nunca saberei o que espero dele
nem que juras deixa atrás dos meus passos
mas quando esses olhos se fartam de ladrilhos
e esperam entre o plano e as colinas
ou em ruas que se fecham em mais ruas
então sim me sinto um náufrago
e só o mar pode salvar-me.

Publicações relacionadas

Os homens Os homens (Cora Coralina) Em água e vinho se definem os homens. Homem água...
A balada do cárcere de Reading... A balada do cárcere de Reading (Oscar Wilde) Ele não trajava a sua túnica esc...
Casamento Casamento (Adélia Prado) Há mulheres que dizem: Meu marido, se quiser pesca...
A donzela e o fantasma –... A donzela e o fantasma - IV (Oscar Wilde) CAPÍTULO IV No dia imediato o fa...

Deixe uma resposta