Debussy

Print Friendly, PDF & Email

Debussy (Manuel Bandeira)

Para cá, para lá . . .
Para cá, para lá . . .
Um novelozinho de linha . . .
Para cá, para lá . . .
Para cá, para lá . . .
Oscila no ar pela mão de uma criança
(Vem e vai . . .)
Que delicadamente e quase a adormecer o balança
— Psio . . . —
Para cá, para lá . . .
Para cá e . . .
— O novelozinho caiu.

Publicações relacionadas

Pero Vaz de Caminha Pero Vaz de Caminha (Oswald de Andrade) a descoberta Seguimos nosso caminho ...
Quem não sabe de ajuda Quem não sabe de ajuda (Bertold Brecht) Como pode a voz que vem das casas Se...
Preceito 10 Preceito 10 (Gregório de Matos) Graças a Deus que cheguei a coroar meus d...
Eu Nunca Guardei Rebanhos Eu Nunca Guardei Rebanhos (Alberto Caeiro) ...

Deixe uma resposta