Debussy

Print Friendly, PDF & Email

Debussy (Manuel Bandeira)

Para cá, para lá . . .
Para cá, para lá . . .
Um novelozinho de linha . . .
Para cá, para lá . . .
Para cá, para lá . . .
Oscila no ar pela mão de uma criança
(Vem e vai . . .)
Que delicadamente e quase a adormecer o balança
— Psio . . . —
Para cá, para lá . . .
Para cá e . . .
— O novelozinho caiu.

Publicações relacionadas

Difícil fotografar o silêncio... Difícil fotografar o silêncio. (Manoel de Barros) Difícil fotografar o silênc...
Alguém Alguém (Jorge Luis Borges) Tradução Um homem trabalhado pelo tempo, um ho...
Poesia 1970 Poesia 1970 (Paulo Leminski) Tudo o que eu faço Alguém em mim que eu desprez...
O anel de vidro O anel de vidro (Manuel Bandeira) Aquele pequenino anel que tu me deste, – A...

Deixe uma resposta