Sete poemas portugueses (3)

Print Friendly, PDF & Email

Sete poemas portugueses (3) (Ferreira Gullar)

Vagueio campos noturnos
Muros soturnos
paredes de solidão
sufocam minha canção

A canção repousa o braço
no meu ombro escasso:
firmam-se no coração
meu passo e minha canção

Me perco em campos noturnos
Rios noturnos
te afogam, desunião,
entre meus pés e a canção

E na relva diuturna
(que voz diurna
cresce cresce do chão?)
rola meu coração

Publicações relacionadas

A Federico Garcia Lorca A Federico Garcia Lorca (Rafael Alberti) Sal tú, bebiendo campos y ciudades, ...
A desobediência civil – ... A desobediência civil - I (Henry David Thoreau) Aceito com entusiasmo o lema ...
Cabra Marcado para Morrer Cabra Marcado para Morrer (Ferreira Gullar) Essa guerra do Nordeste não mata...
Gozo os Campos Gozo os Campos (Alberto Caeiro) Gozo os campos sem reparar para eles. ...

Deixe uma resposta