História de vampiros

Print Friendly, PDF & Email

História de vampiros (Mario Benedetti)

Do livro “Perguntas ao acaso”
Tradução de Julio Luís Gehlen

Era um vampiro que tomava água
pelas noites e pelas madrugadas
ao meio-dia e no jantar

era abstêmio de sangue
e por isso a vergonha
dos outros vampiros
e das vamps

contra vento e maré se propôs
fundar uma bandada
de vampiros anônimos

fez campanha sob a minguante
sob a cheia e a crescente
seus modestos cartazes proclamavam
vampiros bebam água
o sangue dá câncer

é claro que os quirópteros
reunidos em sua ágora de sombras
opinaram que isso era inaudito

aquele louco aquele alucinado
podia convencer os vampiros fracos
esses que tomam boldo após o sangue

de maneira que uma noite
com nuvens de granizo
cinco vampiros fortes
sedentos de hemácias plaquetas leucócitos
cercaram o adoidado o insurrecto
e acabaram com ele e sua imprudência
quando por fim a lua
pôde aparecer viu lá embaixo
o pobre corpo do vampiro anônimo
com cinco feridas que manavam
formando uma grande poça d’água

o que não pôde ver a lua
foi que os cinco executores
se refugiavam numa árvore
e a contragosto reconheciam
que o gosto não era ruim

dessa noite histórica em diante
nem os vampiros nem as vamps
chupam mais sangue resolveram
por unanimidade beber água

como costuma acontecer nesses casos
o singular vampiro anônimo
é venerado como um mártir

Publicações relacionadas

A Árvore da Serra A Árvore da Serra (Augusto dos Anjos) — As árvores, meu filho, não têm alma! ...
Vencedor Vencedor (Augusto dos Anjos) Toma as espadas rútilas, guerreiro, E á rutilâ...
Pálida à Luz Pálida à Luz (Álvares de Azevedo) Pálida à luz da lâmpada sombria, Sobre o lei...
As coisas As coisas (Arnaldo Antunes) As coisas têm peso, massa, volume, tamanho,...

Deixe uma resposta