Nunca Sei

Print Friendly, PDF & Email

Nunca Sei (Alberto Caeiro)

Nunca sei como é que se pode achar um poente triste.
Só se é por um poente não ter uma madrugada.
Mas se ele é um poente, como é que ele havia de ser uma madrugada?

Publicações relacionadas

Quem me Dera que eu Fosse o Pó... Quem me Dera que eu Fosse o Pó da Estrada (Alberto Caeiro) ...
Grande desejo Grande desejo (Adélia Prado) Não sou matrona, mãe dos Gracos, Cornélia, sou...
Maria Maria (Antero de Quental) Tenho cantado esperancas... Tenho falado d'amores...
Lembrança de Morrer Lembrança de Morrer (Álvares de Azevedo) "No more! o never more!" ...

Deixe uma resposta