Primeiros Conselhos do Outono

Print Friendly, PDF & Email

Primeiros Conselhos do Outono (Antero de Quental)

Ouve tu, meu cansado coracao,
O que te diz a voz da Natureza:
– Mais te valera, nu e sem defesa,
Ter nascido em asperrima solidao,

Ter gemido, ainda infante, sobre o chao
Frio e cruel da mais cruel devesa,
Do que embalar-te a Fada da Beleza,
Como embalou, no berco da ilusao!

Mais valera a tua alma visionaria,
Silenciosa e triste ter passado
Por entre o mundo hostil e a turba varia,

(Sem ver uma so flor das mil, que amaste,)
Com odio e raiva e dor – que ter sonhado
Os sonhos ideais que tu sonhaste!

Publicações relacionadas

Epístola sobre o suicídio Epístola sobre o suicídio (Bertold Brecht) ...
Canção I Canção I (Cecília Meireles) Nunca eu tivera querido dizer palavras tão louc...
Hino à Dor Hino à Dor (Augusto dos Anjos) Dor, saúde dos seres que se fanam, Riqueza da...
A descoberta A descoberta (Oswald de Andrade) Seguimos nosso caminho por este mar de longo...

Deixe uma resposta