Uma Amiga

Print Friendly, PDF & Email

Uma Amiga (Antero de Quental)

Aqueles que eu amei, nao sei que vento
Os dispersou no mundo, que os nao vejo…
Estendo os bracos e nas trevas beijo
Visoes que a noite evoca o sentimento…

Outros me causam mais cruel tormento
Que a saudade dos mortos… que eu invejo…
Passam por mim… mas como que tem pejo
Da minha soledade e abatimento!

Daquela primavera venturosa
Nao resta uma flor so, uma so rosa…
Tudo o vento varreu, queimou o gelo!

Tu so foste fiel – tu, como dantes,
Inda volves teus olhos radiantes…
Para ver o meu mal… e escarnece-lo!

Publicações relacionadas

Los hombres Los hombres (Pablo Neruda) Como la copa de la arcilla era la raza mineral, ...
Quando Vier a Primavera Quando Vier a Primavera (Alberto Caeiro) Quando vier a Primavera, Se eu já ...
O impossível carinho O impossível carinho (Mário de Andrade) Escuta, eu não quero contar-te o meu ...
O poeta pede a seu amor que lh... O poeta pede a seu amor que lhe escreva (Federico Garcia Lorca) Amor de ...

Deixe uma resposta