Maria

Print Friendly, PDF & Email

Maria (Antero de Quental)

Tenho cantado esperancas…
Tenho falado d’amores…
Das saudades e dos sonhos
Com que embalo as minhas dores…

Entre os ventos suspirando
Vagas, tenues harmonias,
Tendes visto como correm
Minhas doidas fantasias.

E eu cuidei que era poesia
Todo esse louco sonhar…
Cuidei saber o que e vida
So porque sei delirar…

So porque a noite, dormindo
Ao seio duma visao,
Encontrava algum alivio,
Meu dorido coracao,

Cuidei ser amor aquilo
E ser aquilo viver…
Oh! que sonhos que se abracam
Quando se quer esquecer !

Eram fantasmas que a noite
Trouxe, e o dia ja levou…
A luz d?estranha alvorada
Hoje minha alma acordou !

Esquecei aqueles cantos…
So agora sei falar !
Perdoa-me esses delirios…
So agora soube amar !

Publicações relacionadas

Soneto de natal Soneto de natal(Machado de Assis) Um homem, — era aquela noite amiga, Noit...
Carta de José de Alencar Carta de José de Alencar(Machado de Assis) ...
Leve Leve (Alberto Caeiro) De O Guardado...
No interminável No interminável (Paul Verlaine) No interminável Tédio da planície A neve, i...

Deixe uma resposta