Bendito seja o Mesmo Sol

Print Friendly, PDF & Email

Bendito seja o Mesmo Sol (Alberto Caeiro)

De O Guardador de Rebanhos

Bendito seja o mesmo sol de outras terras
Que faz meus irmãos todos os homens
Porque todos os homens, um momento no dia, o olham como eu,
E, nesse puro momento
Todo limpo e sensível
Regressam lacrimosamente
E com um suspiro que mal sentem
Ao homem verdadeiro e primitivo
Que via o Sol nascer e ainda o não adorava.
Porque isso é natural — mais natural
Que adorar o ouro e Deus
E a arte e a moral …

Publicações relacionadas

Poema Sujo – um fragment... Poema Sujo - um fragmento: "Velocidades" (Ferreira Gullar) Mas na cidade havi...
Os Estatutos do Homem Os Estatutos do Homem (Thiago de Mello (Ato Institucional Permanente) ...
Morte Vida Severina Morte Vida Severina (João Cabral de Melo Neto) ------------------------------...
Canciones a Guiomar Canciones a Guiomar (Antonio Machado) I No sabía si era un limón amaril...

Deixe uma resposta