Bendito seja o Mesmo Sol

Print Friendly, PDF & Email

Bendito seja o Mesmo Sol (Alberto Caeiro)

De O Guardador de Rebanhos

Bendito seja o mesmo sol de outras terras
Que faz meus irmãos todos os homens
Porque todos os homens, um momento no dia, o olham como eu,
E, nesse puro momento
Todo limpo e sensível
Regressam lacrimosamente
E com um suspiro que mal sentem
Ao homem verdadeiro e primitivo
Que via o Sol nascer e ainda o não adorava.
Porque isso é natural — mais natural
Que adorar o ouro e Deus
E a arte e a moral …

Publicações relacionadas

Página branca Página branca (Arnaldo Antunes) O inverno é eterno no pólo norte. Os dias d...
Alguien Alguien (Jorge Luis Borges) Un hombre trabajado por el tiempo, un hombre qu...
Pecadora Pecadora (Augusto dos Anjos) Arte ingrata! E conquanto, em desalento, A órb...
Veinte poemas de amor y una ca... Veinte poemas de amor y una canción desesperada - 05 (Pablo Neruda) Para que ...

Deixe uma resposta