Sinto

Print Friendly, PDF & Email

Sinto (Federico Garcia Lorca)

(1921)

Sinto que arde em minhas veias
sangue,
chama vermelha que vai cozendo
minhas paixões no meu coração.

Mulheres, derramai água,
por favor;
quando tudo se queima,
só as fagulhas voam
ao vento.

Publicações relacionadas

Agonia de um Filósofo Agonia de um Filósofo (Augusto dos Anjos) Consulto o Phtah-Hotep. Leio o obso...
Solilóquio de um Visionário Solilóquio de um Visionário (Augusto dos Anjos) Para desvirginar o labirinto ...
Quem cá quiser viver, seja um ... Quem cá quiser viver, seja um Gatão (Gregório de Matos) Se souberas falar tam...
Poesia 1970 Poesia 1970 (Paulo Leminski) Tudo o que eu faço Alguém em mim que eu desprez...

Deixe uma resposta