Todas as Opiniões

Print Friendly, PDF & Email

Todas as Opiniões (Alberto Caeiro)

Todas as opiniões que há sobre a Natureza
Nunca fizeram crescer uma erva ou nascer uma flor.
Toda a sabedoria a respeito das cousas
Nunca foi cousa em que pudesse pegar como nas cousas;
Se a ciência quer ser verdadeira,
Que ciência mais verdadeira que a das cousas sem ciência?
Fecho os olhos e a terra dura sobre que me deito
Tem uma realidade tão real que até as minhas costas a sentem.
Não preciso de raciocínio onde tenho espáduas.

Publicações relacionadas

Que lindos olhos de azul inoce... Que lindos olhos de azul inocente os do pequenito do agiota! (Álvaro de Campos) ...
Páscoa Páscoa (Adélia Prado) Velhice é um modo de sentir frio que me assalta e um...
Dolências (Eu fui cadáver, ant... Dolências (Eu fui cadáver, antes de viver!) (Augusto dos Anjos) Eu fui cadáve...
Poema da Gare de Astapovo Poema da Gare de Astapovo (Mário Quintana) O velho Leon Tolstoi fugiu de casa...

Deixe uma resposta