Agonia de um Filósofo

Print Friendly, PDF & Email

Agonia de um Filósofo (Augusto dos Anjos)

Consulto o Phtah-Hotep. Leio o obsoleto
Rig-Veda. E, ante obras tais, me não consolo…
O Inconsciente me assombra e eu nêle tolo
Com a eólica fúria do harmatã inquieto!

Assisto agora à morte de um inseto!…
Ah! todos os fenômenos do solo
Parecem realizar de pólo a pólo
O ideal de Anaximandro de Mileto!

No hierático areopago heterogêneo
Das idéas, percorro como um gênio
Desde a alma de Haeckel à alma cenobial!…

Rasgo dos mundos o velário espesso;
E em tudo, igual a Goethe, reconheço
O império da substância universal!

Publicações relacionadas

Bem no Fundo Bem no Fundo (Paulo Leminski) No fundo, no fundo, bem lá no fundo, a gent...
Gemidos de Arte Gemidos de Arte (Augusto dos Anjos) I Esta desilusão que me acabrunha ...
A Ilha de Cipango A Ilha de Cipango (Augusto dos Anjos) Estou sozinho! A estrada se desdobra C...
A privada A privada (Bertold Brecht) É um lugar onde nos sentimos bem Tendo acima as e...

Deixe uma resposta