Agonia de um Filósofo

Print Friendly, PDF & Email

Agonia de um Filósofo (Augusto dos Anjos)

Consulto o Phtah-Hotep. Leio o obsoleto
Rig-Veda. E, ante obras tais, me não consolo…
O Inconsciente me assombra e eu nêle tolo
Com a eólica fúria do harmatã inquieto!

Assisto agora à morte de um inseto!…
Ah! todos os fenômenos do solo
Parecem realizar de pólo a pólo
O ideal de Anaximandro de Mileto!

No hierático areopago heterogêneo
Das idéas, percorro como um gênio
Desde a alma de Haeckel à alma cenobial!…

Rasgo dos mundos o velário espesso;
E em tudo, igual a Goethe, reconheço
O império da substância universal!

Publicações relacionadas

Minha boemia Minha boemia (Arthur Rimbaud) Traduç...
Trindade Trindade (Álvares de Azevedo) A vida é uma planta misteriosa Cheia d’espinho...
Cancion del mariquita Cancion del mariquita (Federico Garcia Lorca) El mariquita se peina en su p...
La canción desesperada La canción desesperada (Pablo Neruda) Emerge tu recuerdo de la noche en que e...

Deixe uma resposta