Sentimento do Mundo

Print Friendly, PDF & Email

Sentimento do Mundo (Carlos Drummond de Andrade)

Tenho apenas duas mãos
e o sentimento do mundo,
mas estou cheio escravos,
minhas lembranças escorrem
e o corpo transige
na confluência do amor.
Quando me levantar, o céu
estará morto e saqueado,
eu mesmo estarei morto,
morto meu desejo, morto
o pântano sem acordes.

Os camaradas não disseram
que havia uma guerra
e era necessário
trazer fogo e alimento.
Sinto-me disperso,
anterior a fronteiras,
humildemente vos peço
que me perdoeis.

Quando os corpos passarem,
eu ficarei sozinho
desfiando a recordação
do sineiro, da viúva e do microcopista
que habitavam a barraca
e não foram encontrados
ao amanhecer

esse amanhecer
mais noite que a noite.

Publicações relacionadas

Ouço dizer que contra mim foi ... Ouço dizer que contra mim foi alegado (Walt Whitman) Ouço dizer que contra mi...
Primavera Primavera (Augusto dos Anjos) ...
Esta Tarde a Trovoada Caiu Esta Tarde a Trovoada Caiu (Alberto Caeiro) ...
Leitura Leitura (Adélia Prado) Era um quintal ensombrado, murado alto de pedras. Às...

Deixe uma resposta