Epitáfio

Print Friendly, PDF & Email

Epitáfio (Walt Whitman)

Eu parto com o ar – sacudo minha neve branca ao sol que foge
Desfaço minha carne em redemoinhos de espuma,
Entrego-me ao pó para crescer nas ervas que amo;
Se queres ver-me novamente, procura-me sob teus pés.
Dificilmente saberás quem sou ou o que significo;
Não obstante serei para ti boa saúde
E filtrarei e comporei teu sangue.
E se não conseguires encontrar-me, não desanimes;
O que não está numa parte esta noutra
Em algum lugar estarei a tua espera.

Publicações relacionadas

El Ausente El Ausente (Octavio Paz) Dios insaciable que mi insomnio alimenta; Dios...
As litanias de Satã I As litanias de Satã I (Charles Pierre Baudelaire) Ó tu, o Anjo mais belo e ta...
A umas saudades A umas saudades (Gregório de Matos) Parti, coração, parti, navegai sem vos ...
Vontade de dormir Vontade de dormir (Mário de Sá Carneiro) Fios de oiro puxam por mim a soergu...

Deixe uma resposta