Poema da Necessidade

Print Friendly, PDF & Email

Poema da Necessidade (Carlos Drummond de Andrade)

É preciso casar João,
é preciso suportar Antônio,
é preciso odiar Melquíades,
é preciso substituir nós todos.

É preciso salvar o país,
é preciso crer em Deus,
é preciso pagar as dívidas,
é preciso comprar um rádio,
é preciso esquecer fulana.

É preciso estudar volapuque,
é preciso estar sempre bêbado,
é preciso ler Baudelaire,
é preciso colher as flores
de que rezam velhos autores.

É preciso viver com os homens,
é preciso não assassiná-los,
é preciso ter mãos pálidas
e anunciar o FIM DO MUNDO.

Publicações relacionadas

Num Dia de Verão Num Dia de Verão (Alberto Caeiro) D...
Precisamos de você Precisamos de você (Bertold Brecht) Aprende - lê nos olhos, lê nos olhos - a...
Uma Noite no Cairo Uma Noite no Cairo (Augusto dos Anjos) Noite no Egito. O céu claro e profund...
El Ausente El Ausente (Octavio Paz) Dios insaciable que mi insomnio alimenta; Dios...

Deixe uma resposta