O Corrupião

Print Friendly, PDF & Email

O Corrupião (Augusto dos Anjos)

Escaveirado corrupião idiota,
Olha a atmosfera livre, o amplo éter belo,
E a alga criptógama e a úsnea e o cogumelo,
Que do fundo do chão todo o ano brota!

Mas a ânsia de alto voar, de à antiga rota
Voar, não tens mais! E pois, preto e amarelo,
Pões-te a assobiar, bruto, sem cerebelo
A gargalhada da última derrota!

A gaiola aboliu tua vontade.
Tu nunca mais verás a liberdade! …
Ah! Tu somente ainda és igual a mim.

Continua a comer teu milho alpiste.
Foi este mundo que me fez tão triste,
Foi a gaiola que te pôs assim!

Publicações relacionadas

Clamando… Clamando... (Cruz e Souza) Bárbaros vãos, dementes e terríveis Bo...
Valle lozano Valle lozano (José Martí) Dígame mi labriego Otros, con dagas grandes ¿Cómo ...
Para o livro do Aníbal Beça Para o livro do Aníbal Beça (Thiago de Mello Não faço prefácio. Faço um can...
Un Poeta Sajón Un Poeta Sajón (Jorge Luis Borges) Tú cuya carne, hoy dispersión y polvo, P...

Deixe uma resposta