Preceito 03

Print Friendly, PDF & Email

Preceito 03 (Gregório de Matos)

Pois no que toca a guardar

dias Santos, e Domingos:

ninguém vejo em mim, que os guarde,

se tem, em que ganhar jimbo.

Nem aos míseros escravos

dão tais dias de vazio,

porque nas leis do interesse,

é preceito proibido.

Quem os vê ir para o templo

com as contas e os livrinhos

de devoção, julgará,

que vão p’ra ver a Deus Trino:

Porém tudo é mero engano,

porque se alguns escolhidos

ouvem missa, é perturbados

desses, que vão por ser vistos.

E para que não pareça,

aos que escutam, o que digo,

que há mentira, no que falo

com a verdade me explico:

Entra um destes pela Igreja,

sabe Deus com que sentido,

e faz um sinal-da-cruz

contrário ao do catecismo.

Logo se põe de joelhos,

não como servo rendido,

mas em forma de besteiro

cum pé no chão, outro erguido.

Para os altares não olha,

nem para os Santos no nicho,

mas para quantas pessoas

vão entrando, e vão saindo.

Gastam nisto o mais do tempo,

e o que resta divertidos

se põem em conversação,

com os que estão mais propínquos

Não contam vidas de Santos,

nem exemplos ao divino,

mas sim muita patarata,

do que não há, nem tem sido.

Pois se há sermão, nunca o ouvem,

porque ou se põem de improviso

a cochilar como negros,

ou se vão escapulindo.

As tardes passam nos jogos,

ou no campo divertidos

dando Leis, e dando arbítrios.

As mulheres são piores,

porque se lhes faltam brincos

manga a volá, broche, troço,

ou saia de labirintos,

não querem ir para a Igreja,

seja o dia mais festivo,

mas em tendo essas alfaias,

saltam mais do que cabritos.

E se no Carmo repica,

ei-las lá vão rebolindo,

o mesmo para São Bento,

Colégio, ou São Francisco.

Quem as vir muito devotas,

julgará sincero, e liso,

que vão na missa, e sermão

a louvar a Deus com hinos.

Não quero dizer, que vão,

por dizer mal do Maridos,

aos amantes, ou talvez

cair em erros indignos.

Debaixo do parentesco,

que fingem pelo apelido,

mandando-lhes com dinheiro

muitos, e custosos mimos.

Publicações relacionadas

Stella Stella (Machado de Assis) Já raro e mais escasso A noite arrasta o manto, ...
O Martírio do Artista O Martírio do Artista (Augusto dos Anjos) Olha agora, mamífero inferior, A ...
José José (Carlos Drummond de Andrade) E agora, José? A festa acabou, a luz apag...
O Lupanar O Lupanar (Augusto dos Anjos) Ali! Por que monstruosíssimo motivo Prenderam...

Deixe uma resposta