Preceito 02

Print Friendly, PDF & Email

Preceito 02 (Gregório de Matos)

No que toca aos juramentos,

de mim para mim me admiro

por ver a facilidade,

com que os vão dar juízo.

Ou porque ganham dinheiro,

por vingança, ou pelo amigo,

e sempre juram conformes,

sem discreparem do artigo.

Dizem, que falam verdade,

mas eu pelo que imagino,

nenhum, creio, que a conhece,

nem sabe seus aforismos.

Até nos confessionários

se justificam mentindo

com pretextos enganosos,

e com rodeios fingidos.

Também aqueles, a quem

dão cargos, e dão ofícios,

suponho, que juram falso

por conseqüências, que hei visto.

Prometem guardar direito,

mas nenhum segue este fio,

e por seus rodeios tortos

são confusos labirintos.

Honras, vidas, e fazendas

vejo perder de contino,

por terem como em viveiro

estes falsários metidos.

Publicações relacionadas

Passa uma Borboleta Passa uma Borboleta (Alberto Caeiro) ...
Para um estranho Para um estranho (Walt Whitman) Tradução de Oswaldino Marques Estranho q...
Soledades XI Soledades XI (Antonio Machado) Yo voy soñando caminos de la tarde. ¡Las ...
El viajero El viajero (Antonio Machado) Está en la sala familiar, sombría, y entre nos...

Deixe uma resposta