A Você

Print Friendly, PDF & Email

A Você (Walt Whitman)

Tradução de Mário Ferreira dos Santos

Seja você quem for,
receio que você esteja
trilhando as trilhas das ilusões:
receio que essas supostas realidades
venham a derreter-se de baixo dos seus pés
e suas mãos
mesmo agora os seus traços, alegrias,
conversa, casa, negócios, costumes,
maneiras, preocupações, loucuras, crimes,
dissipam-se a afastar-se de você,
e diante de mim surge
você em corpo e alma verdadeiros,
à parte das tarefas, do comércio, lojas,
trabalho, fazendas, roupas, a casa,
comprar, vender, comer, beber, sofrer, morrer.

Publicações relacionadas

Subversiva Subversiva (Ferreira Gullar) A poesia quando chega não respeita nada. Nem ...
A um mártir A um mártir (Augusto dos Anjos) Alma em cilício, vem, enrista a clava, Brand...
Relíquia intima Relíquia intima (Machado de Assis) Ilustríssimo, caro e velho amigo, Sab...
Cotovia Cotovia (Manuel Bandeira) — Alô, cotovia! Aonde voaste, Por onde an...

Deixe uma resposta