O menino doente

Print Friendly, PDF & Email

O menino doente (Manuel Bandeira)

O menino dorme.

Para que o menino
Durma sossegado,
Sentada ao seu lado
A mãezinha canta:
— “Dodói, vai-te embora!
“Deixa o meu filhinho,
“Dorme . . . dorme . . . meu . . .”

Morta de fadiga,
Ela adormeceu.
Então, no ombro dela,
Um vulto de santa,
Na mesma cantiga,
Na mesma voz dela,
Se debruça e canta:
— “Dorme, meu amor.
“Dorme, meu benzinho . . . ”

E o menino dorme.

Publicações relacionadas

A desobediência civil – ... A desobediência civil - I (Henry David Thoreau) Aceito com entusiasmo o lema ...
Cravo de noiva Cravo de noiva (Augusto dos Anjos) Cravo de noiva. A nívea cor de cera Que o...
Vesperal Vesperal (Cruz e Souza) Tardes de ouro para harpas dedilhadas Por...
Creio Creio (Alberto Caeiro) Creio que irei morrer. Mas o sentido de morrer n...

Deixe uma resposta