Sem terra e sem céu

Print Friendly, PDF & Email

Sem terra e sem céu (Mario Benedetti)

Do livro “Geografias”
Tradução de Julio Luís Gehlen

Jesus e eu respeitadas as distâncias
somos dois habitantes do exílio
e o somos por cautelosos por ingênuos

algo se quebrou na metade do verbo
e assim carregamos esta pena
estaurando vitrais e lembranças

não temos altares nem perdões
jesus e eu de povo memoriosos
às vezes compartilhamos o exílio

compartilhamos os pães e desertos
e as cumplicidades e os judas
e o camelo e o buraco da agulha
e os sãotomases e a espada
e até os mercadores e a fúria

não é eco nem abstração
é uma história apenas

ele veterano eu inexperiente
chegamos emigrantes ao futuro
descalços e sem norte e surpresos

eu! obscuro e fraturado! sem minha terra ele!
pobre desde sempre! sem seu céu.

Publicações relacionadas

Soneto do Amigo Soneto do Amigo (Vinicius de Moraes Enfim, depois de tanto erro passado Tant...
Aquela gente antiga – II Aquela gente antiga - II (Cora Coralina) Aquela gente antiga explorava a minh...
Veinte poemas de amor y una ca... Veinte poemas de amor y una canción desesperada - 10 (Pablo Neruda) Hemos per...
O amigo dedicado O amigo dedicado (Oscar Wilde) por Oscar Wilde Certa manhã o velho Rato d'...

Deixe uma resposta