Sem terra e sem céu

Print Friendly, PDF & Email

Sem terra e sem céu (Mario Benedetti)

Do livro “Geografias”
Tradução de Julio Luís Gehlen

Jesus e eu respeitadas as distâncias
somos dois habitantes do exílio
e o somos por cautelosos por ingênuos

algo se quebrou na metade do verbo
e assim carregamos esta pena
estaurando vitrais e lembranças

não temos altares nem perdões
jesus e eu de povo memoriosos
às vezes compartilhamos o exílio

compartilhamos os pães e desertos
e as cumplicidades e os judas
e o camelo e o buraco da agulha
e os sãotomases e a espada
e até os mercadores e a fúria

não é eco nem abstração
é uma história apenas

ele veterano eu inexperiente
chegamos emigrantes ao futuro
descalços e sem norte e surpresos

eu! obscuro e fraturado! sem minha terra ele!
pobre desde sempre! sem seu céu.

Publicações relacionadas

Sobre a violência Sobre a violência (Bertold Brecht) A corrente impetuosa é chamada de violenta...
Tentanda via Tentanda via (Antero de Quental) d...
Decadência Decadência (Augusto dos Anjos) Iguais às linhas perpendiculares Caíram, como...
Afra Afra (Cruz e Souza) Ressurges dos mistérios da luxúria, Afra, ten...

Deixe uma resposta