Relíquia intima

Print Friendly, PDF & Email
Relíquia intima (Machado de Assis)

Ilustríssimo, caro e velho amigo,
Saberás que, por um motivo urgente,
Na quinta-feira, nove do corrente,
Preciso muito de falar contigo.

E aproveitando o portador te digo,
Que nessa ocasião terás presente,
A esperada gravura de patente
Em que o Dante regressa do Inimigo.

Manda-me pois dizer pelo bombeiro
Se às três e meia te acharás postado
Junto à porta do Garnier livreiro:

Senão, escolhe outro lugar azado;
Mas dá logo a resposta ao mensageiro,
E continua a crer no teu Machado.

Publicações relacionadas

La Lluvia La Lluvia (Jorge Luis Borges) Bruscamente la tarde se ha aclarado Porque ya...
Das utopias Das utopias (Mário Quintana) Se as coisas são inatingíveis... ora! não é m...
Amor Amor (Álvares de Azevedo) Quand la mort est si belle, Il est doux de mourir....
Subversiva Subversiva (Ferreira Gullar) A poesia quando chega não respeita nada. Nem ...

Deixe uma resposta