Relíquia intima

Print Friendly, PDF & Email
Relíquia intima (Machado de Assis)

Ilustríssimo, caro e velho amigo,
Saberás que, por um motivo urgente,
Na quinta-feira, nove do corrente,
Preciso muito de falar contigo.

E aproveitando o portador te digo,
Que nessa ocasião terás presente,
A esperada gravura de patente
Em que o Dante regressa do Inimigo.

Manda-me pois dizer pelo bombeiro
Se às três e meia te acharás postado
Junto à porta do Garnier livreiro:

Senão, escolhe outro lugar azado;
Mas dá logo a resposta ao mensageiro,
E continua a crer no teu Machado.

Publicações relacionadas

Soneto do Amigo Soneto do Amigo (Vinicius de Moraes Enfim, depois de tanto erro passado Tant...
De que cor? De que cor? (Nicolás Guillén) De...
Ode ao Burguês Ode ao Burguês (Mário de Andrade) Eu insulto o burgês! O burguês-níquel, o ...
A um epiléptico A um epiléptico (Augusto dos Anjos) Perguntarás quem sou?! - ao suor que te u...

Deixe uma resposta