Mãe

Print Friendly, PDF & Email

Mãe (Cora Coralina)

Renovadora e reveladora do mundo
A humanidade se renova no teu ventre.
Cria teus filhos,
não os entregues à creche.
Creche é fria, impessoal.
Nunca será um lar
para teu filho.
Ele, pequenino, precisa de ti.
Não o desligues da tua força maternal.
Que pretendes, mulher?
Independência, igualdade de condições…
Empregos fora do lar?
És superior àqueles
que procuras imitar.
Tens o dom divino
de ser mãe
Em ti está presente a humanidade.

Mulher, não te deixes castrar.
Serás um animal somente de prazer
e às vezes nem mais isso.
Frígida, bloqueada, teu orgulho te faz calar.
Tumultuada, fingindo ser o que não és.
Roendo o teu osso negro da amargura.

Publicações relacionadas

Página branca Página branca (Arnaldo Antunes) O inverno é eterno no pólo norte. Os dias d...
Tabacaria Tabacaria (Álvaro de Campos) Não sou nada. Nunca serei nada. Não posso qu...
Inventario galante Inventario galante (Antonio Machado) Tus ojos me recuerdan las noches de ve...
Suave Mari Magno Suave Mari Magno(Machado de Assis) Lembra-me que, em certo dia, Na rua, a...

Deixe uma resposta